Ram-Zet




A banda que vos posto agora, chamada Ram-Zet, nasceu no ano de 1998 na cidade de Hamar, Noruega, pelo membro chamado apenas como "Zet". (Henning Ramseth, seu nome real), com o intuito de dar vida as suas próprias visões pessoais. Tendo nascido como um one-man project, logo o Ram-Zet tornou-se uma banda de fato e lançou em 2000 seu primeiro trabalho, chamado Pure Therapy. Nele, já percebe-se com grande clareza e desenvoltura o caminho que a banda viria a trilhar nos anos seguintes, demonstrando uma grande maturidade em suas composições e uma técnica bem articulada desde então. Depois dele, veio então o Escape (2002) e o Intra (2005), sendo estes álbuns uma continuação da história iniciada no PT. Depois de fazer alguns shows (não muitos) e 4 anos de hiato, a banda finalmente retorna com um novo trabalho em mãos, chamado Neutralized.

Acerca de seu universo sonoro, o Ram-Zet se dedica a um Progressive Black Metal com um tempero bem acentuado de Avant-Garde e Symphonic Metal, chamado por muitos (inclusive o próprio mastermind da banda, Zet, de Schizo-Metal). Suas músicas carregam uma estética gótica e de ar meio steampunk que são conduzidas por um ritmo dissonante e ensandencido que, não raramente, mergulha em marés de calma desconhecida e inerte, quase de textura celeste, remetendo a bandas como UnexpecT e Diablo Swing Orchestra. No entanto, o Ram-Zet possui um quê meio esquizofrênico, delirante e ensandecido em suas músicas, ainda mais do que nas bandas citadas agora pouco, algo reforçado pela própria temática lírica que elas carregam, onde os seus três primeiros álbuns formam uma trilogia (orly?) que conta uma história sobre um personagem esquizofrênico (representado pelo Zet) internado numa instituição mental e seus diálogos com uma enfermeira (Sfinx) que tenta ajudá-lo a escapar da instituição, basicamente. Existem várias linhas e passagens interessantes ao longo de cada música que narra a tal história, o que deixo para cada um procurar as letras e tirar as próprias conclusões.

Seu novo trabalho, Neutralized, não apresenta basicamente nenhuma novidade em relação aos anteriores. É mais polido e melhor produzido, embora talvez mais reto, onde a sua esquizofrenia sônica parece um pouco mais arrefecida e saciada conferindo lugar a algo mais "são" e mais puramente surreal, digamos assim. Mas é um excelente álbum, sem nenhuma sombra de dúvida e sobre os ângulos que se é possível enxergá-lo (ou ouvi-lo), além de irretocável quanto a sua elaboração e técnica de execução. Álbum que faz páreo e muito bem ao novo do DSO, ainda que ache esse levemente (bem de leve mesmo) superior.

Mas enfim, melhor ou pior, é um p*** trabalho. Espero que gostem!

[last.fm] | [myspace] | [official homepage]

[2009] Neutralized

01 - Infamia
02 - I Am Dirt
03 - 222
04 - Addict
05 - God Don't Forgive
06 - Beautiful Pain
07 - To Ashes
08 - Requiem

[purchase]

[download]

Um comentário:

.borges disse...

eu já tentei gostar dessa banda, mas não foi possível :( vou baixar esse álbum e tentar de novo :)